segunda-feira, 30 de junho de 2008

CCB - 4 Jul 2008 - 21:00

“Mais que uma cantora, Rosa Passos é uma grande compositora e excelente guitarrista, segundo o estilo do seu ídolo João Gilberto. A sua voz tem a limpidez da água e o seu fraseado é destituído de vibrato e ornamento, apenas colorido pela sonoridade da língua portuguesa. [...] Se esta não é a mais bela das vozes, é seguramente uma das mais notáveis e encantadoras.”
Gary Giddins, in New Yorker – Novembro de 2007
http://www.rosapassosmusic.com/
Uma ideia para descontrair ao fim da tarde com boa música, alguns jogos e livros e a opção de uma esplanada durante o Verão (que tanto nos consome).... Durante o período do lusco-fusco dá-se a chamada Happy Hour, a grande aposta deste espaço, onde os preços descem para quase metade do habitual.
OGÂMICO RUA RUBEN A. LEITÃO (PRINCIPE REAL)

Com qual te identificas?

Preguiça é a inatividade de uma pessoa, aversão a qualquer tipo de trabalho ou esforço físico. Também é um tipo de procrastinação.
Um preguiçoso para a psicologia é uma pessoa sem resistência
moral e psicológica para os desafios impostos pela vida. Que busca justificativas sempre externas para a sua falta de ação naqueles momentos decisivos que lhe surgem.
Ao compreender-se incapacitado - pela própria preguiça - de conseguir aquilo que deseja, pode ocorrer ao preguiçoso o sentimento de inveja, culpando os outros pela sua própria inércia, mesmo sendo ele aquele que foge das oportunidades de aprendizado apresentadas pela vida.

Ah, também é um bicho!

A preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás), pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).

Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos.

Se Uma Mosca Incomoda Muita Gente...

...Três Moscas incomodam muito mais. Não posso deixar de agradecer à RTP, PT e Liga Portuguesa Contra o Cancro o momento com que nos brindaram este sábado. Eram 16.30, sensivelmente, quando três criaturas voadoras com propulsão motorizada nos vieram alertar para os malefícios do da exposição solar desregrada. Ora, pergunto eu, se não haverá uma maneira mais espalhafatosa e que incomode menos que está a tentar relaxar ma praia. Por favor, bastava que fossem não-motorizados - na pior das hipóteses roubavam-nos o sol durante alguns [intermitentes] segundos.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

"DIA 1 DE JULHO 2008 - MUSIC BOX - A NÃO PERDER!!!!

o projecto ORGANIZAÇÃO é um novo e original método de pensar e revolucionar o que se convencionou tradicionalmente intitular por "banda rock". hoje, vive-se numa era de DROMOLOGIA: uma ciência da velocidade. múltiplas actividades gerem a nossa vida: a vida de cada um de nós afecta o todo e cada um de nós. o artista divide-se em várias artes: as Artes fundem-se, expandem-se: transdisciplinaridade. a ideia de "banda" como a que existia nos anos 1960, 1970 ou mesmo 1980 é uma relíquia do passado. vive-se múltiplas experiências, variegadas actividades artísticas, diferentes situações musicais, participa-se em várias tipologias musicais. ORGANIZAÇÃO é o FUTURO na nova noção de "BANDA"! um grupo que não tenha formação definida. um grupo que não tem ensaios: apenas OBRAS REALIZADAS. um grupo que não tem datas fixas de encontros. um grupo que não é de facto um grupo, mas sim uma colectividade de artistas dispostos a integrar um projecto de actividade revolucionária musical. um grupo que improvisa: compõe em tempo real. sem estruturas pré-definidas, sem saber até ao último segundo o que vai criar, o que vai compor, mas que sabe que vai produzir algo: e esse algo são coisas concretas: gravação de obras para edição em cd, dvd, etc. realização de concertos onde o público possa assistir à criação em tempo real de Rock improvisado. existe uma condução: alguém guia e conduz essa energia criativa e a traduz em estrutura organizada. ORGANIZAÇÃO é uma colectividade de músicos de diferentes áreas musicais, de diferentes gerações, de diferentes gostos, ideias. ORGANIZAÇÃO é o futuro do Novo Rock! não é rock português!... nem é feito a pensar em Portugal: vivemos na era global: o nosso público é o MUNDO! ORGANIZAÇÃO reúne os melhores músicos de variadas tipologias musicais: Rock, Improvisada, Pop, Erudita, etc. Esta colectividade irá anunciar as suas actividades DISTÓPICAS por fases. a primeira fase já se concretizou: a realização de várias sessões em estúdio com variados músicos do mais alto nível. a segunda fase será a apresentação ao vivo desse trabalho em diferentes espaços próprios para a apresentação de música ao vivo. a terceira fase é a divulgação de um Manifesto que resuma as nossas ideias e o nosso projecto de Vida. desta forma ORGANIZAÇÃO vai apresentar num concerto só para convidados (imprensa, rádio, televisão, promotores, divulgadores (nacionais e estrangeiros), a sua Música: original, inovadora e revolucionária (a nível nacional e internacional!). Não existe nenhum projecto deste género actualmente em nenhuma parte do Mundo. Portugal é pródigo em não acarinhar o que é nosso e promover o que nos chega do estrangeiro! esperamos contribuir para mudar isso: pedimos aos jornalistas, pessoas da rádio da tv, dos diferentes média a interessarem-se pelo nosso projecto: venham ver com os vossos olhos o que de melhor se está a fazer no - infelizmente - reduzido e atrofiado panorama Rock português. vivemos uma era miserável: cultiva-se a cópia e a imitação (chuva de estrelas). incita-se ao mimetismo ignóbil do pior que se faz lá fora (concursos onde se promovem "novos valores" e se lançam novas "estrelas")... queremos mudar esta ordem de ideias: queremos ajudar o nosso País a ser grande, maior, original e capaz de sermos os primeiros. pedimos a vossa ajuda (rádio, imprensa, tv, críticos) que nos apoiem: estarão a apoiar o país e vós próprios. não mais seguidismo do que de pior se faz lá fora...

ORGANIZEM-SE!

venham ver e assistir a um novo conceito: ORGANIZAÇÃO!

ao VIVO 1 de Julho no MUSICBOX!"

coliseu versus coliseu-café

Nunca poderia deixar de publicar aqui esta nota, ainda que diga respeito apenas a um artigo de opinião (e quanto a mim, muito acertada em algumas coisas mas com uma falha acentuadíssima de conhecimento da qualidade que pode encontrar-se ao londo da rua das Portas de Santo Antão).

"(...)O restaurante do Coliseu é do tipo internacional-cool, o que naquele contexto atrai. Música eclética, televisões com telediscos, carta babel (cozinhas misturadas). Empregadas com avental da Pepe Jeans. O anti-Coliseu. O Coliseu dos Recreios, por mais obras que tenha, é daqueles sítios com pior energia do Mundo, um misto de orfanato e termas, longos corredores que os lutadores de boxe percorrem nos filmes. Sempre desconfortável, demasiado grande ou demasiado pequeno. (...)"

Não deixem de ler o resto do artigo aqui.

Reefer Madness

"Inspirado no famoso filme de propaganda anti-marijuana de 1936, Reefer Madness, teve a sua estreia mundial no Festival de Cinema de Sundance em 2005. «Reefer Madness» é uma comédia musical irónica sobre adolescentes bem-comportados que caem numa espiral descendente hilariante de droga, sexo e violência e é um dos musicais mais complicados já filmado para televisão. (...)"

Che! - Mito e Revolução

"O Fórum Municipal Romeu Correia acolhe, de 28 Junho a 7 Setembro, a exposição Che! - Mito e Revolução, uma mostra organizada por Trisha Ziff, uma curadora independente, com a colaboração do Museu da Califórnia de Fotografia entre outros colaboradores como o Center for the Study of Political Graphics de Los Angeles, o International Institute of Social History de Amesterdão entre outros.(...)"
Organização -Câmara Municipal de AlmadaFórum Municipal Romeu Correia
Condições de Participação-Inauguração: dia 28, Sábado, às 18h00.Entrada livre.
Observações-Fórum Municipal Romeu CorreiaPraça da Liberdade, Almada
Tel.: 21 272 4920 - Email: bibl.mun.alm@cma.m-almada.pt - Sítios: http://www.m-almada.pt/bibliotecas
Não encontrei ainda o meu object trouvé ...

...meu querido marcel duchamp

AMANHÃ NO ONDA JAZZ

Jorge Reis saxofone André Fernandes guitarra João Paulo Esteves piano Hugo Antunes contrabaixo Alexandre Frazão bateria

ARE YOU READY?

quarta-feira, 25 de junho de 2008

ATTITUDE, É PRECISO TER

Bem sei que o slogan é da revista visão mas acho que cai muito bem nesta revista de design de interiores portuguesa que dá grande destaque ao que é nacional - e que é bom, claro.
No site podemos ver os números anteriores.

Destinos Alternativos

Para além do próprio nome que já sugere que se vai encontrar malta bem-disposta, o Crew Hassan é mais uma das colectividades que dão vida à nossa cidade, tal como o Bacalhoeiro e o MAL. São, pelo menos espaços com que podemos compensar de alguma forma o desaparecimento da mui saudosa Casa dos Dias da Água.
Responde o atendedor de chamadas:
"Obrigado por ter ligado para o Júlio de Matos, a companhia mais adequada nos seus momentos de maior loucura."
* Se é obsessivo-compulsivo, marque repetidamente o 1;
* Se é co-dependente, peça a alguém que marque o 2 por si;
* Se tem múltipla personalidade, marque o 3, 4, 5 e 6;
* Se é paranóico, nós sabemos quem é você, o que você faz e o que quer. Aguarde em linha enquanto localizamos a sua chamada;
* Se sofre de alucinações, marque o 7 nesse telefone colorido gigante que você, e só você, vê à sua direita;
* Se é esquizofrénico, oiça com atenção, e uma voz interior indicará o número a marcar;
* Se é depressivo, não interessa que número marque. Nada o vai tirar dessa sua lamentável situação;
* Porém, se VOCÊ votou Sócrates, não há solução, desligue e espere até 2009. Aqui atendemos LOUCOS e não INGÉNUOS! Obrigado!

a seguir podemos sempre... dormir na praia!

Já abriu a discoteca do Tamariz! BORA COMBINAR?

terça-feira, 24 de junho de 2008

2 em (des)conversas

C: aaaaaaaaaaaaaaaaaii
C: a sério que desespero
C: tou fartinha, fartinha
C: uma merda, é o que é
MG: estou tão bem que peguei no regador e fui regar a planta
MG: eu
MG: a regar uma planta
MG: qq dia vou me sentar ao lado da planta
MG: a conversar com ela
C: olha, é como conversares contigo
C: são as melhores conversas
C: ninguém se chateia
C: terapia
C: DA MELHOR
MG: pois
MG: olha
MG: estou a ouvir genesis
C: sim
C: e então que tal?
C: fase gabriel ou pós? ag dg...lol
MG: pós
C: certo
MG: acho mesmo que foi o ultimo
MG: i can´t dance
C: não?
MG: we can't dance
C: podemos pois, era o que faltava
MG: é o nome do disco
MG: olhe que não olhe que não
MG:e o burro sou eu? isto é um escandalo
C: atão? que se passa minha linda senhora
MG: um bonito miusicialie
C: sim, murlindo mas conta lá a escandaleira
MG: era uma graçola do gato pestilento
C: ah....

OLGA RORIZ

OLGARORIZ10ANOSDE COREOGRAFIASEMVÍDEO saber mais Tive já o privilégio de ver Olga Roriz a actuar na Primeira Pessoa - justamente com a peça do vídeo. É Transcendente.

____________radical light 1891-1910_____________

Pintores Divisionistas Italianos
angelo morbelli
Uma oportunidade única de ficar a conhecer um movimento menos célebre mas não menos importante da pintura Europeia dos últimos séculos. O Divisionismo Italiano, movimento do final do século XIX, que aparece inspirado nos movimentos franceses,nas aspirações de Seurat, com o sentido evolutivo do Impressionismo. Em Itália surge como uma resposta ao descontentamento perante a sociedade Moderna. Intentava a converter a Arte num intrumento para a transformação social.
emilio longoni

Exposição patente no 'The National Gallery' (Trafalgar Square, London) de 18 de Junho a 7 de Setembro. Para ver e ficar a saber um pouco mais sobre esta exposição e sobre este tema basta clicar nas palavras mágicas.

giuseppi pellizza

Institute of Contemporary Arts, London

ICA, um museu que pretende recriar o próprio conceito, receber e divulgar as novas aspirações dos criadores. Fomentar o Novo, sentindo que se faz parta da aventura de criar o Amanhã.

No dia 28 deste mês, o espaço deste museu transforma-se até às 4 da manhã num espaço de cultura rave, uma subcultura nocturna e musical; "(...)Nightclub is conceived by Jen Wu on behalf of ICA Exhibitions, and developed in collaboration with Jamie Eastman, ICA Music. With thanks to Piers Martin.".

segunda-feira, 23 de junho de 2008

125 ANOS DE CRIANÇAS EM CONSTRUÇÃO

Foi este sábado e com a colaboração de muita gente, com poucos recursos e muita vontade de fazer as coisas acontecer. A Voz do Operário é já de há muito tempo uma instituição com um lugar muito especial no meu coração (espero que no de muitas mais pessoas) e digo coração com uma intenção muito definida; porque é lugar de amores, de dedicação, de princípios e valores, principalmente de muito trabalho e de eterna 'construção'. Onde as crianças, os idosos, a arte, a solidariedade, o ensino, o lazer,a alegria, o zelar pelo próximo e a luta por um país melhor são preocupações constantes. É também um espaço onde consegui fazer crescer as minhas amizades, onde me consegui fazer crescer. Tenho que deixar aqui os meus parabéns à instituição pelo seu 125º aniversário e a todos os que lá trabalham, dando muito de si, que fazem tudo isto acontecer.
'Cada um com seu tijolo, isto aqui era uma orquestra, quem diz o contrário é tolo (...)'. (Já tinha dito aqui que as minhas ideias parecem organizar-se por sons, ritmos, cheiros, aromas...este ritmo parece muito apropriado a este tema.)

Ora bem, o espectáculo aconteceu, todos colaboraram, as crianças como diz o cartaz estiveram no papel de destaque e muitos foram os artístas que quiseram juntar-se a este momento de solidariedade para com esta instituição. Muitos serão os espectáculo a acontecer ainda no âmbito da comemoração dos 125 anos da Voz do Operário mas, por agora deixo aqui e aqui alguma informação sobre o dia 21 de Junho.

Pelo prazer de escrever...

Há pequenos prazeres na vida, confessáveis, mas provavelmente estranhos para os demais... Escrever é um deles, mas não é o prazer da escrita pelo resultado do que foi escrito, pelo texto que vai aparecendo à medida do teclar... é a escrita justamente pelo teclar... pelo som das teclas... pela rapidez do movimento dos dedos... que são tão rápidos que nos enganamos e voltamos atrás... o que não quer dizer que seja um problema, porque ao voltar atrás outras teclas são pressionadas, e o som continua a surgir dos dedos, e isso é bom de ouvir. Eu pelo menos gosto e por isso vou obrigar-vos a ler um texto que de conteúdo não tem nada só porque me está a saber bem ouvir este barulhinho. Na verdade, não sei que onomatopeia usar para ilustrar este som fantástico que me está a embalar a escrita. Não sou mesmo uma escritora... e também por isso me repito... mas que importa?! Estou a ouvir este tlac tlac tlac que eu gosto!!!! e lá apareceu uma onomatopeia!!! Ehehehehe! Não vou escrever mais... aqui... vou aproveitar esta vontade de audio-escrita em algo que me seja útil e que não importune ninguém! E desculpem qualquer coisinha, sim?

Feio & Friends

(...)'Desde as bandas sonoras de filmes, até às canções de genéricos de séries infantis, passando ainda pelas publicidades clássicas, tudo cabe no repertório desta banda.' (...)
Num vermelho vulcânico, o couro envolve pedaços de espuma esculpidos em forma de músculos que se fundem e constroem um corpo proporcionalmente simétrico preso a uma estrutura de cadeira antiga em mogno, numa posição de repouso como que se estivesse sentado. Os braços inutilizados foram absorvidos pela estrutura acolchoada que marca uma característica de indefeso.
As pernas foram meticulosamente estofadas e forradas para servir de assento, o tórax encorpado e o abdômen definido enxertados por espuma, se projetam e servem de encosto. A integração entre o trabalho de tapeçaria inspirado num tratamento de superfícies de capitonê e a anatomia humana formam um conjunto harmonioso e uma superfície acolhedora do ponto de vista estético. Psicologicamente, afronta pensamentos perante a existência humana e a questões que vão desde a posição de status da arte até a sua utilidade, confrontando com objectos utilitários de uso doméstico.
O objecto escraviza e reduz o homem a ser hospedeiro numa relação explorativa, neste estado de entrega e de alucinação.

É a alegria

Monica Piloni (1978, Curitiba-PR)

sábado, 21 de junho de 2008

Olá...

Venho deixar o habitual voto de bom fim-de-semana e aproveito para vos contar como iniciou o meu... Hoje, também como habitualmente, acordei tarde e em sobressalto, levantei-me e em passo acelerado dirigi-me ao trabalho. Umas escassas mas aparentemente infindaveis duas horas. Cheia de sono, de racíocinio arrastado tento deixar tudo em ordem para segunda-feira.
Já devia ter resolvido o meu problema de despertar, estou a desenvolver uma tese que atesta a traição do meu telemóvel, uma conspiração em que actua como personagem principal boicotando todas as minhas intenções de pontualidade....enfim, essa é outra história.
Ontem o meu dia acabou de forma bem relaxante. Vi o sol desmaiar lentamente sobre a cidade, o rio trocar os jogos de cores pelos reflexos espelhados, os pontos de luz começavam a apontar os monumentos, é o espectáculo em cena de segunda a domingo na nossa Esplanada da Graça. Cheguei com dois amigos, depois de alguns momentos mal passados a fazer compras para o jantar e aquele descanso era mais que desejado, era vital. Conseguimos uma mesa bem posicionada, suficientemente perto da música e da vista do empregado, era a fila central e o filme ía começar. A imperial soube como nunca. O alívio do calor, a sensação de recompensa pelos minutos anteriores, quase como que efeitos especiais da fita que corria à frente dos nossos olhos. As cenas eram acompanhadas pela doce voz da Sara Tavares que soava nas colunas e que aqui e ali se misturava em absoluta harmonia com as conversas das outras mesas, pautadas pelo trinar das andorinhas loucas do fim de tarde. Várias são as vezes em que acho que a minha vida é composta de pequenos momentos estranhos, pequenas forças da natureza ocultas que se reúnem e me fazem acontecer. Quando estamos quase a notar que deixamos de ter banda sonora e o filme ficou mudo, o sino da igreja repica a hora da próxima imperial e o Palma entrou em Vôo pela nossa noite dentro.
Não pode ser, será que foi aqui que ficaram os meus cds? terão encontrado a minha bolsinha ou simplesmente adivinharam-me o desejo? é incrivél, é isto. É assim que está? Dentro da bolsinha azul fica a Sara Tavares e o Palma...que bom, eram imagens que ainda não tinha tido oportunidade de associar. Na minha vida cada momento,cada frase, cada gesto fazem-me ouvir músicas diferentes. A minha memória parece organizar-se por sons, às vezes por cheiros e sabores. É estranho.
No fundo esta história toda deve-se ao facto de ter relembrado algumas músicas que gosto muito, que me recordam vários momentos e sensações diversas e que agora passam a estar associados a mais um momento, aquele em que se vê o dia trazer a noite à esplanada da Graça. Se conseguirem, fechem os olhos e ouçam a música que vos vou deixar aqui.

(em sussurro e como despedida; bomfim-de-semana)

sexta-feira, 20 de junho de 2008

à nossa!!!! cheers....

the juice of life

Le grand 'C'

"Drawing on an array of archival material, including sketches, photographs, and correspondences, Le Corbusier Le Grand depicts in roughly chronological order not only the vast and varied output of Le Corbusier, but also the major events, people, and forces that shaped the life of an artist who continues to fascinate those in and outside the architectural world."

mais informação http://www.phaidon.com/lecorbusier/

VAMOS TODAS ?

IUPI....VAMOS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Djavan - Meu Bem Querer

Meu bem querer
É segredo, é sagrado
Está sacramentado
Em meu coração
Meu bem querer
Tem um quê de pecado
Acariciado
Pela emoção
Meu bem querer
Meu encanto
Estou sofrendo
Tanto
E o que é o sofrer
Para mim que estou
Jurado pra morrer
De amor

ODE ÀS ESPLANADA

Esplanadas sempre! Esplanadas de dia, de manhã, de tarde, à noite, no Verão, no Invero! Especilamente quando se tem Lisboa como pano de fundo!

A propósito de águas - Uma história bonita

Sim, também eu vou dedicar um pouco do meu tempo ao assunto que a mais tempo teve direito nos ultimos 15 dias, mais alguns tempos de preparação e outros tantos tempos de dedicação natural. Falo de futebol...sim, eu a falar de FUTEBOL. Bom, em tempos, outros tempos, também joguei. O que mais me motiva em toda a envolvência que acompanha o futebol é precisamente a envolvência. Não há atritos, não há discussões, não há engates, não há mensagens nem telefonemas, não há nada, mas absolutamente nada, a não ser comida e copos. Muita comida e ainda mais copos. E gritos também. Muitos e muito altos. Esta parte as vezes aborrece-me. Ontem, participando nessa envolvência, deparei-me numa situação que me deixou muito confortável. Fez-me sentir segura, confiante, cheia de auto estima, determinada, segura das minhas convicções e dos meus objectivos...estava claro na presença de uma amiga que certamente sentiu o mesmo. É importante sabermos que temos um porto seguro para nos abrigar-mos, é importante saber que há salvação para os males que tropeçam em nós diariamente. Falo-vos de uma Garrafeira. Uma Garrafeira e um tapete. A salvação! Cheers Darling!

DESIGN EM PORTUGUÊS

Chic é a nova garrafa de água de Monchique especialmente concebida para os momentos de degustação e glamour. O projecto demorou um ano a ser desenvolvido, sendo que a Chic estará disponível nas versões cristal e azul, no canal Horeca. O design do logótipo tem assinatura de Pedro Novo, designer português actualmente a viver em Londres trabalhando em regime de freelancer para agências de design. O projecto gráfico ficou a cargo da Upstairs - Design Studio e o design da garrafa Chic tem assinatura de Manuel Vital, do mesmo estúdio. Já a fotografia é da autoria de Frederico Martins. Para já não está prevista nenhuma campanha de publicidade para comunicar o novo produto.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

amigo espanhol

Titulo: 3570 Dirección: Isidro Sánchez Guerrero Producción: Escuela Andaluza de Cinematografía Guión: Isidro Sánchez Guerrero Dirección de Fotografía: J. Carlos Matachana Música: Alfonso Camacho Montaje: Moisés Liébana Sonido: Moisés Liébana y Gregory Dan Dirección Artística: Alfonso Camacho y Mario Cano Maquillaje y peluquería: Diana García y Rocío Valdívia Interpretes: Mauricio Bautista, Pepe Gordillo, Asensio Salas, Clara Romero, María Albarrán, Víctor Toucedo

LUIGI COLANI e + DESIGN também....

No meu último post fiz referência a um fotógrafo, agora aproveito e faço a máquinas fotográficas e a um design arrojado, associado a este tipo de aparelhos. Ver mais aqui e aqui

+design

já que estamos numa de design, uma disciplina que me é especialmente cara. angie anakis +++

Philippe Starck

FUNCIONALIDADE OU ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS?

Uma verdadeira pérola!

Gosto particularmente dos "Os Azeitonas" a banda mais azeiteira de Portugal.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Sou mesmo pequena ou é esta uma terra de gigantes

obrigada pela foto ;)

Sinto-me como se este fosse o ritmo a que anda a minha vida, que por mais que me veja diferente esta é a minha verdadeira forma. Não vou conseguir alcançar outra velocidade que não esta, não está em mim. Não carrego uma casa às costas mas às vezes chego a sentir que carrego qualquer coisa de muito maior. Por mais que esbraceje, por mais que carregue e tente saltar....o ritmo, é o ritmo que me falta! Aquele que é vital, quase que cardíaco. É a vontade! Quando chegará o meu gigante? Será boa a objectiva? Quem espera sempre alcança, os últimos são os primeiros...enfim todas aquelas frases fantásticas que fazemos por acreditar. Então e quem espera desespera ou ....

(fotografia gentilmente cedida pelo Gonçalo. Clicar aqui para saber mais )

E faz favor de visitar este site tãooooo giro ;-) clica aqui!

terça-feira, 17 de junho de 2008

No matter how optimistic you may appear, it's hard for you to let go

General Daily Horoscope for everyone The inspirational Sagittarius Moon lights a fire in the distant skies of our idealism. We set our goals based upon these visions of faraway places. Accordingly, our mundane thoughts fly into philosophical realms of inquiry. Our dreams pull us out of our current world as we make plans to expand our minds through education or travel. Meanwhile, sensual Venus moves to oppose shadowy Pluto, bringing darker and more mysterious desires into our awareness.

Já que estamos numa de Santos...

nesta festa da diversidade, no meio de tanta 'pluriculturalidade', onde se troca ginjinha por vodka, sangria por um monjito, entremeada por uma pita shuarma, o fado por um 'mamãe eu quero'.....porque não uma quadra

'Mulhé véia é jabiráca

Home véio é defunto

Solteirona é jararáca

Nêgo bebo é fedunto'

grande poeta é o povo....

EXPERIÊNCIA SOCIOLÓGICA

As sardinhas, imagem de marca das Festas de Lisboa, estão este ano mais atrevidas, mais cosmopolitas e interculturais. Bela campanha de marketing. É pena o programa das festas ser assim pró fraquinho, para quem gosta mais do que uns bailaricos. Eu por exemplo vou picar o ponto mas não sou propriamente fã. Para ser franco, o que interessa mais nestes ajuntamentos populares é ver isso mesmo - os populares. A fauna é variadíssima. Desde as pessoas que vejo todos os dias no autocarro, passando pela tia que acha uma caturreira ir a estas festas do povo até ao turista, cujo estado de espírito vai desde o divertido ao confuso, até ao estado ébrio – a sangria escorrega, tem frutinha, parece um refresco e depois… vê-se no que dá. Mas há uma espécie mutante – não sei se em vias de extinção. Habita os bairros típicos como Alfama, Madragoa, Bica entre outros. É citadino mas todo o seu comportamento e postura física é resultado de uma simbiose entre um povo que acaba de descer da Serra (entenda-se ponto remoto), e o urbano. O resultado é interessante. Têm rituais de acasalamento precoces - é vulgar ver uma miúda com os seus 16 anos já com um filho e outro a caminho. Parece ter o dobro da idade – uns 30 anos mal enjorcados. Reveste-se com calças de Lycra três números abaixo, muito justas, e casaquinhos de malha com brilhantes – afinal é a festa da cidade e do bairro e em muitas destas fêmeas nota-se que se produziram para o evento. As mais modernaças do bairro – as cabeleireiras e esteticistas arriscam uma tigresa conjugada com uma brutal minissaia. Protegem os cascos com botas da moda brancas ou umas sandálias de plástico de solas compensadas, o que lhes da um ar de rameira. O macho dominante passa a vida na “jola” com os companheiros. É como os da Idade da Pedra iam à caça, mas ao contrário daqueles não fazem nenhum, ou quase. Vestem um fato de treino, t-shirts de mangas cavas com os logótipos de marcas de desporto compradas na Feira do Relógio bastante visíveis. Têm leitores de mp3 e telemóveis de última geração mas é essencial que a dentição seja incompleta e mal tratada. A sua urbanidade, para além dos referidos aparelhómetros, reflecte-se nos cortes de cabelo artísticos – rapados e com desenhos em zig-zag, nas coloridas tatuagens e nos piercings variados – é muito popular, claro, o diamante à C. Ronaldo. Digam lá se não é uma verdadeira experiência sociológica.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Goodbye Maria Ivone

Ai não.... É Goodnight... Irene. Bolas! estas coisas ficam. Começam como que por brincadeira e depois pronto... forma-se um balão... Fui ver o filme. Lindo. Quero ver outra vez e ter em DVD.

DESAGRAVO

Como eu dou sempre o benefício da dúvida, ontem tive a ver um bocadinho, um excerto, uma fatia de “Os Contemporâneos” e já me diverti mais do que na primeira experiência. Nem de propósito grande tónica no futebol criou um grande número de rábulas, umas mais bem conseguidas que outras, é certo, e uma série consistia na ridicularização dos directos do Euro em que de uma forma caricatural, mas não muito – acredite-se, se mostrava como o namorado interrompia o pedido de casamento, o obstetra interrompia o parto, etc… Foi linda também a Rueff encarnando a Winehouse… Um nadinha mais roliça, mas a miúda tem queda para a coisa, assenta-lhe bem o papel. Vai uma burakada?

Acalmar os cavalos!

Não sendo eu propriamente fã incondicional de futebol, e não gostando de dar demasiada importância a algo que de facto de importante não tem nada, gostaria de deixar expostos alguns comentários acerca do que se passa neste país, no momento em que decorre o Euro 2008: 1) Acho ridículo que se vá comemorar para a rua uma vitória da Selecção Portuguesa, que não é mais do que um dos vários passos para se chegar ao fim. Até se chegar, eventualmente, à final há várias batalhas a ganhar, mas que não significam absolutamente nada, para já. Se Portugal chegar à final, aí sim considero minimamente aceitável que se comemore. Portugal está a passar por momentos muito complicados, a nível económico, político, social, cultural ( e tudo e tudo e tudo...) e, por isso, até admito que as pessoas queiram exorcizar dramas, dores, dificuldades e afins. A catarse faz parte da vida! 2) Gostei, muito sinceramente, que Portugal tivesse perdido ontem. É preciso acalmar um bocadinho os cavalos, pôr os pés na terra, para não se comemorar antes do tempo o que ainda não se ganhou. 3) Será que não existe outra forma de o país se animar e de se revelar "patriótico" sem ser através do futebol? Eu julgo que sim. É pena é que a classe política não faça por tal, nem os grandes empresários. Já não temos moeda própria, nem agricultura, nem indústria, é certo, mas temos pessoas fantásticas, um país fantástico, uma língua própria (por enquanto), escritores, músicos, artistas plásticos, pintores, pequenas e médias empresas batalhadoras, cientistas e crânios (cá e lá fora), uma gastronomia do melhor, sei lá... inúmeros motivos de orgulho, não vos parece? Faz-me confusão que estejamos de uma forma geral prostrados e deprimidos. Se a situação não é boa, há que acusar os culpados e reagir. Confesso que não percebi muito bem quem é que organizou o protesto dos camionistas, mas talvez tivesse sido uma boa oportunidade para o país todo parar (não só para encher os depósitos dos carros) e manifestar todo o seu descontentamento perante a crise, perante as atitudes arrogantes deste governo, que insiste em viver noutro mundo que não o real. Afinal de contas o que é que se passou? Estamos todos aflitos com o preço dos combustíveis, mas no fim fomos a correr em pânico dar o dinheirito todo das nossas poupanças às gasolineiras, para no dia seguinte tudo voltar ao normal e com mais um aumento do preço. Quem ficou a ganhar? Os mesmos de sempre que têm a faca e o queijo na mão. Mas não faz mal... afinal Portugal tinha ganho um jogo...

algumas coisinhas que me fazem feliz....(II)

Pois é, volto com o mesmo tema. Depois de já aqui publicado um post sob este título eu tinha que voltar. Esta coisa das férias tem muito que se lhe diga e a primeira é que: EU NÃO QUERO TRABALHAR. Não quero!!.. admito sem vergonha, sem complexos e sem preconceitos.

Talvez um dia, em que faça realmente o que gosto, em que possa criar, estravasar os meus limites de satisfação e realização eu possa vir a dizer o contrário. Eu não quero produzir numa sociedade que me reprime, só para poder pagar a renda e poder comer, não quero! Não é para mim (acredito que para ninguém..), torna-me infeliz, incompleta, destorcida e disfuncional.

Depois desta semana de férias percebi como inevitavelmente eu sou 'do sol', do mar, da areia, do vento, da ausência de horários, ausência de adereços tecnológicos. O meu corpo, a minha pele, o meu sangue coexistem com outra coerência sob esta satisfação. Depois de ler o meu primeiro post achei que devia acrescentar aqui algumas das 'coisinhas que me fazem feliz'.

dizer disparates sem julgamentos, sentir o sol a queimar-me a pele, a areia grossa e quente entre os dedos, o vento que alivia o calor, o cheiro do creme, ajeitar a areia aos contornos do corpo, adormecer ao som das ondas, sentir a ausência de horários, o cansaço ao fim do dia, a luz do por do sol, o fresco da água do mar, os pasteis de nata, um mimo (mesmo que por telefone), uma peça de fruta fresca, o sabor do cigarro misturar-se com o sal da água do mar, cantar e dançar com o rebentar das ondas sem me preocupar com os outros
NEM TUDO O QUE LUZ É OURO
NEM TUDO O QUE É FETICHE É COURO

quarta-feira, 11 de junho de 2008

QUEM MANDA AQUI?

É NÓS...! É NÓS!
'à lá ver quem manda nesta m...da Pelos visto são os camionistas. Está tudo em pânico. O problema da gasolina deixou de ser o ser cara... agora é o... haver... (.) (ponto)

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Afinal devia andar contente...

Diários

"This isn't a tale of heroic feats. It's about two lives running parallel for a while, with common aspirations and similar dreams. What we had in common - our restlessness, our impassioned spirits, and a love for the open road. Wandering around our America has changed me more than I thought. I am not me any more. At least I'm not the same me I was. Me, I'm not the same me, at least not the same spiritual me." Ernesto 'Che' Guevara de La Serna
É um final capaz de causar uma impressão profunda sobre o carácter desta personalidade que veio um pouco mais tarde a revelar-se. Esta é transcrição do texto que acompanha as imagens finais do filme Diários de Motocicleta, um flashback dos povos encontrados, das gentes e realidades com que estabeleceram contacto ao longo da viagem pelo continente americano.
Para além do real significado que comporta, já largamente discutido com toda a certeza, transportando-o para um campo mais prosaico e pessoal, não consigo deixar de me rever nestas linhas. Sem que nos apercebamos acontecem todos os dias, com todos que se cruzam na nossa visa. De uma forma mais ou menos profunda.
Se nos preocuparmos, se nos interessarmos, se não permanecermos apenas, se não estivermos alienados do mundo que nos rodeia, esta é sem dúvida a sensação em eterno repeat.
Há formas de controlarmos esta influência permanente, nunca nos darmos a conhecer totalmente, nunca deixarmos que ultrapassem aquele espaço nosso que é 'público'. Não nos entregarmos e não nos descentrarmos de nós próprios. Se isso não é acabar com o lado mais bonito que temos em sermos humanos, então eu não sei o que digo, então tudo o que tomo como princípios está errado, então não quero ser assim e transformar-me numa pessoa que para além de me ser desconhecida não me agrada.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

AO FRANCISCO E À NOSSA

MUSEU À SEXTA-FEIRA

O Museu do Oriente está aberto das 10h00 às 18h00, de Quarta a Segunda-feira, e às Sextas-feiras encerra às 22h00, com entrada gratuita a partir das 18h00.

ROCK IN... CHIADO

Não vá faltar coisas para os meninos terem com que se entreter... Clica na imagem e segue o link!

Lifestyle; Lifecooler

O lifecooler, uma aposta válida que reúne uma ampla panóplia de informações em prol de ócio interessante, interessado e atento, sugere-nos sites onde temos acesso a livros online.
Com os telemóveis com internet, nem podemos dizer que não vamos ficar a ler sentados à secretária... Além disso é gratuito e ecológico e a existência de uns não implica, para já, a extinção dos outros.
Pode parecer estranho mas acho que é uma questão de tempo, mesmo porque as prateleiras de lá de casa não são infinitas, bem pelo contrário.
Procura aqui, aqui, aqui e aqui!

a ALCOVA do futuro

entrar noutra dimensão, eu quero!!! (o conforto, tecnologia, preguiça, bem estar, prazer...)

terça-feira, 3 de junho de 2008

algumas coisinhas que me fazem feliz....

acordar em silêncio num quarto cheio de sol o cheiro do pão quente quando tenho fome poder preguiçar e não ter que pensar nas horas um convite inesperado para um programa comprar ingredientes exóticos e frescos e exprimentar uma receita nova compensar o frio do inverno com um copo de vinho à lareira descobrir dinheiro no bolso de um casaco um mergulho no mar reencontar uma peça de roupa da qual já não me lembrava o cheiro da roupa lavada gastar tempo a observar as pessoas e tentar adivinhar-lhes o tipo de vida afinidades sem importancia calçar uns sapatos novos encontrar alguém em quem estava a pensar o chiado ao domingo de manhã um sorriso inesperado um banho quente sem pressas 'ser chamada de chocolatinho quentinho' os meus amigos um beijo ouvir num supermercado uma música que gosto uma refeição ao pé do mar o sol ao fim do dia chocolate preto com laranja

SEX and the city

Já estreou na cidade que lhe serve de cenário e cá, é já esta 5ªfeira.

Toca a marcar posições na fila da frente, comprar chocolates, gomas, água, chá e provavelmente alguns lenços de papel.

Para todos o fiéis seguidores e fãs da série, esta é a grande oportunidade.............ou talvez não...

Aqui só para nós, tenho sempre um imenso receio destas adaptações.....Mas vou lá estar!!!!

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Meu céu

clara andermatt
castelo de são jorge duração 1h30 min bilhetes 10 € / 5 €
terça _ 3 junho 22h30 quarta _ 4 junho 22h30
certifique-se que encontra este simbolo!

Onde estou eu

ESTOU AQUI!!!!!!! ONDE? AQUI!!!!!! Ah boa estás aqui. Mas a minha mente não...

O b r i g a d a A M I G A ! ! ! ! ! !

...do fundo do coração...
dois grandes concertos ( não foram mais, fiquei com pena de não ver Ala dos Namorados com a fabulosa Nancy Vieira)
Ela sabe mas nunca é demais dizer ; De La Calle uma beijoca e um abracinho muito apertado. Pena não ter sabido mais cedo, assim tinhamos estado aos pares...lol...(gostei especialmente, mais do que qualquer um dos concertos, da tua expressão de felicidade)

Mas está tudo maluco?

Felizmente hoje, ao ler o jornal, tive a confirmação de que não sou só eu a achar um perfeito disparate o que se passou na televisão portuguesa este belo domingo. O que o povinho gosta é de pão e circo, não é? Ora muito bem… Pão… Não que está muito caro… e circo, traduzida a expressão para o século XXI, é futebol. Então lá estivemos nós com emissões especiais, meios extraordinários de país rico que somos [aviões, helicópteros, batalhões de pessoas e polícias, escoltas especiais, e o diabo a sete!], uma multidão que só se lembra que é portuguesa por causa do futebol. O resto dos dias queixam-se do pais de merda que este é [não que não tenham um fundo de razão mas ao não fazerem nada para contrariar o estado das coisas, perdem-na automaticamente]. Tudo isto para ver um autocarro a fazer um percurso, depois um avião a descolar [ahhhhhhh que bonito!], e de novo o autocarro. Nunca mais passa esta “moda” de jornalismo medíocre de fazer reportagens longuíssimas, grandes meios, grande aparato quando depois a reportagem não tem conteúdo e os pseudo-jornalistas andam ali a encher chouriços todo o dia. Por favor, porque não se vão todos matar?

Os Contemporâneos - Agora não, obrigado.

Dizer: "Boa tentativa..., obrigadinho pelo esforço!", será exagerar nos elogios?

Oran, Argélia, 1 de Agosto de 1936 - Paris, 1 de Junho de 2008

Desapareceu ontem um dos mais importantes ícones do mundo da moda do século XX.
Catherine Deneuve and Yves Saint-Laurent, 1966