terça-feira, 26 de agosto de 2008

Não é preciso ler, muito menos comentar

Estranho como alguém pode conduzir uma vida baseado em mentiras e esquemas maquiavélicos e corruptos, qual familia Borgia. Estranho como alguém pode querer viver enganado e enganando, a si e aos outros. Estranho como alguém pode sentir, ininterruptamente, a atracção pelo abismo. Estranho como alguém pode anular-se de forma a não confiar no que é mais fiavel, que é o nosso instinto. Estranho como as vezes parece que gostamos de sentir o que é mau, estranho como facilmente nos ligamos a algo que não nos faz feliz e sabendo-o, não nos conseguimos afastar. COMO É QUE ACONTECE ISTO? O que leva uma pessoa, de personalidade forte, assertiva, intolerante a maus e violentos tratos, aparentemente imune a atracções infelizes, a deixar de o ser? Como é que baixamos as nossas fasquias? Como é que damos por nós a contentar-nos com pouco, a contentar-nos com o que nos querem dar, a contentar-nos com o que não nos completa? Não há quem nos dê um estalo na cara e nos diga ACORDA? Temos mesmo de passar por tudo o que é merda, e levar chapadas de luva branca? Como é que se dá o salto de volta? Como é que se impede que o ritmo das coisas leve a este patamar onde parece não haver volta possivel? Como é que nos levantamos? Uma coisa eu aprendi, nos ultimos tempos. Não devemos tentar nem agradar os outros, nem tentar que os outros mudem os seus traços de personalidade, ultrapassadas as questões de formação pessoal, que, se não são, deveriam ser universais. As pessoas são, enquanto seres individuais, únicas na sua forma de estar na vida, e qualquer tentativa de mudar essa mesma forma de estar, pode traduzir-se em perdas irrecuperáveis. Já somos, temos de ser, nos tempos que correm, autênticas fortalezas. Chega de cegueira e de merda gratuita. Tenho dito!

8 comentários:

De La Calle disse...

Eu li... posso comentar?

Madame Giselle disse...

claro! faça favor

De La Calle disse...

Este texto é, a meu ver, um tratado que deve ser lido. É um ponto de partida para uma profunda reflexão pessoal.

Corine disse...

"Não percas o teu mistério. Quem te avisa é teu amigo! Rega-o bem todos os dias , que o viço esteja contigo.
Dobra-o como quem dobra lençóis de linho lavado. É ele o que nos vai valer, quando estivermos cansados.
Olha que mesmo a brincar eu digo, coisas do foro mais sério.
Ouve este teu desmesurado amigo e não percas o teu mistério".

Madame Giselle disse...

Pronto. É agora. Gostei de vos conhecer.

É o fim. O saguão espera por mim. Vou saltar.

Corine disse...

au contrair, era para te levantar a moral!!!

conserva o que tens de melhor, o que é teu e não percas tanto tempo em manter aquilo que é dos outros.

quem tem visa teu amigo é!!!

Cocaina disse...

Sábias palavras cara corine, sábias palavras...

Corine disse...

heheh....as do visa certamente...

(brincadeirinha)