sexta-feira, 18 de abril de 2008

Reclamação à EMEL

Venho por este meio mostrar a minha profunda indignação com o funcionamento da EMEL.
Sou detentora de um dístico de residente no meu carro, cujo prazo terminava este ano. No sitio onde vivo, os fiscalizadores apenas percorrem algumas ruas, deixando outras à mercê das vontades dos moradores, que me parece que são de outra espécie que não humana. Eu tive o azar de estacionar numa das ruas contempladas pela maravilhosa e tão desejada presença desses seres a quem chamo várias vezes por dia vários nomes muito feios, que não fazem mais que tranferir todas as suas frustações para os carros dos outros. Tenho a sorte de poder ir a pé para o meu trabalho, das 9 as 18h, de onde saio a correr para outro trabalho até as 20h30, e de onde vou, numa média de 4 vezes por semana, para o meu 3º trabalho que acaba sempre por volta da meia noite e meia. Infelizmente, não tive tempo de ir buscar o novo dístico, porque todo o tempo que tenho ocupo com trabalhos para poder pagar a casa, a comida e as contas... Qual não foi o meu espanto quando me dirigia ao carro a certa altura desta semana, e ele não estava. Logo pensei foi rebocado. Ninguém iria roubar o meu carro.
Confesso, fico muito revoltada, tanto, a pontos de elogiar os que se enchem de coragem, e enfrentando as duras penas da Lei Portuguesa, cometem assim, pequenos delitos. Aparentemente, os meus 3 empregos não servem de nada. Minto, servem para pagar à EMEL. Descobri que vale mais ser ladrão, ou arrumador, prostituta ou toxicodependente, não desfazendo as profissões, que acredito que possam dar algum prazer, à medida de cada um. Eu era uma cidadã honesta, mas a partir de agora....
E desta forma agradeço o que de bom essa gentinha proporciona à minha vida.
Ps.: E já agora, acho tão curioso que o espaço destinado às reclamações, no site da EMEL, seja chamado de "Sugestões".

7 comentários:

corine disse...

como é que pequenos seres verdes nos podem por vezes levar à loucura?
porque é que cidadãos trabalhadores e honestos (tanto quanto possivél) se deparam com sentimentos até ali desconhecidos quando confrontados com estas criaturas???

lanço um desafio, alguém poderá aqui fazer a defesa destes seres?

eu adorava!...e cantar Natália de Andrade como Ode à EMEL, mas como qualquer mortal...NÃO CONSIGO!!! (e não é porque me seja dificil imitar esta senhora, acreditem!!!)

Bem, vou ficar à espera dos vossos argumentos.

despeço-me com amizade...

Madame Giselle disse...

O que nos diferencia dos animais é a capacidade de podermos escolher as nossas atitudes, no fundo entre 2 opções escolher a melhor....
ou será que isso é o que nos diferencia dos doentes.....agora estou baralhada....ou será que inventei.....
Uma vez ouvi uma senhora de renome internacional (a mãe) dizer que quando passamos dos pensamentos aos actos é quando estamos doentes....bom, isto poderia levar a algumas discussões....
a ver...acho que quase fiquei doente...

Anónimo disse...

Não há descrição possível para a relação ódio-ódio entre o cidadão-comum e o senhor agente da autoridade, seja ela de que natureza for. Os badamecos da Emel e os fiscais da Carris [que ainda por cima são, na sua maioria, contratados de uma empresa outsourcing], bem se podem juntar no mesmo panelão: os ares de autoridade, de ser superior... O olhar vibrante que diz: - Eu tou-te a topar...", é sempre um bálsamo para que vive nesta cidade cheia de encantos mil.
Os pequenos poderes são os mais mesquinhos e os que mais directamente nos afectam porque, lá está, são pequenos. E mesmo o pequeno, insignificante e reles aborrece... Não mata mas mói, faz brotoeja... Não é o chato uma criatura aparentemente inóqua e inofensiva?

corine disse...

Bom, acho que vou ter que esperar um pouco para que neste debate profundo sobre os designios da vida na nossa cidade tomem tons de defesa....

Anónimo disse...

Por lapso esqueci-me de assinar o meu comentário (o do chato inóquo). Não seja por isso:

CDB

P.s.: Muito mais esclarecidos, ãh?

corine disse...

pois claro, não é chegar aqui e escrever apenas

É preciso assumir, há que assumir!!!!

Madame Giselle disse...

NÃO HÁ DEFESA POSSÍVEL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! (dito em grandes rasgos vocais e excessivas excreções salivares raivosas)
ainda há bocado passei por uns, abri a janela e gritei:
"#$%&%%$#""$%&/()=)=))=)'$#%##%&##$""$%&

Vulgo: Oh meus grandas filhos da P....C...do C....vão para casa bater p......!!!!!!!

Sim, eu sei, agressivo....mas estou muito melhor agora, até pq já comi um chocolate